Esclarecendo dúvidas #Inglês

Oi gente tudo bem com vocês? Hoje quero esclarecer algumas dúvidas que ando recebendo no meu e-mail. Muitas pessoas querem saber qual é o melhor livro (didático) para se aprender inglês. Depende, primeiramente você tem que ter um foco/objetivo, como assim teacher? Yeeep. Temos que saber o que você quer, se é focar na fala, na escrita ou na leitura. Cada caso é um caso e VOCÊ tem que decidir o que é melhor para você.

Nenhum livro é milagroso, ele apenas te ajuda afinal se você quer mesmo aprender um novo idioma até músicas infantis será útil.                         

Minha sugestão: Na internet tem muuuuuita, mas muuuita coisa mesmo. Se você não quer gastar com um curso de inglês, se joga na internet. Mas vai com calma, exija-se menos. Sempre acontece que muitas pessoas desistem, pois acha que não aprendeu nada ou que não sabe de nada (inocente) . Keep calm aí. Tudo vem com o tempo e muita perseverança e mais um pouquinho de paciência. Como já disse em outro post, você não vai ver um vídeo por exemplo, no qual a pessoa ensina algumas expressões do inglês e já vai sair falando, lendo e etc.

Um "site" (são vídeos na verdade) que eu gosto muito que eu indico até para iniciantes é o ESL Winner. Esse site é cheio de dicas e os vídeos estão todos agrupados com o que você deseja. 

Espero que eu tenha ajudado um pouquinho. Qualquer outra dúvida estamos aí. E não esqueçam de "Never give up ok?!"

Vida de Prof

Oi gente tudo bem com vocês? Finalmente trago para vocês a minha nova coluna #VidadeProf. É com pesar que eu digo que não está sendo fácil não. Claro que eu nunca imaginei que seria fácil, mas não imaginava o quão difícil seria. Hoje quero compartilhar o que mais me entristece em ser professora.        

Desinteresse do aluno: Esse é o ponto principal que mais me deixa de cabelos em pé, me faz ser professora 24h por dia, pois chego em casa pensando em como "cativar" ou chamar a atenção desse aluno. Mas tenho que dizer que se ele NÃO QUER APRENDER, não está com vontade, nem que eu cantasse um funk em inglês ele se interessaria. 
Não sei o que aconteceu, mas de uns tempos pra cá o ensino público tem me decepcionado bastante, pois o desinteresse não é apenas em uma turma, ou somente a minha matéria é em várias. Mas aí vem a pergunta que eu sempre faço para os meu aluno, "Vem cá heim, por que vocês estão na escola então, se não querem aprender?" E a resposta unânime sabe qual é?! "Porque minha mãe me obriga". (Assim fica difícil né?!).

Bom, como eu não gosto muito de passar coisas no quadro para eles copiarem, então tento fazer uma aula mais expositiva tentando falar com eles em inglês e tudo mais. Mas nem sempre dá certo, são poucas turmas que aceitam isso. A maioria diz: "sora passa no quadro", "Eu não sei falar em inglês". Eu sempre digo eu te ajudo, mas ainda com muita dificuldade em aceitar essa ajuda. Outro ponto é que eu gosto muito de fazer perguntas em inglês sobre o futuro como: Você quer ter filhos? Você sabe o que quer fazer depois que terminar a escola? E a maioria das respostas é: "NÃO SEI". Ou seja a perspectiva de vida desses alunos está estagnada, não saber planejar o futuro, ou falar dele me assusta muito.

Não quero me prolongar mais, mas esse tem sido a minha nada mole vida. Se vocês gostaram não deixe de comentar e de sugerir novos tópicos para essa coluna. Ah! Vou adorar receber dicas de como enfrentar tudo isso. E se você é prof, venha compartilhar sua experiência comigo!

Uma vez na vida

Oi gente tudo bem com vocês? Hoje quero contar para vocês o que eu achei do livro Uma vez na vida de Marianne Kavanagh! Vamos conferir o que eu achei?


Uma história de amor, encontros e.... desencontros! Conheça Tess. Obcecada por roupas vintage, ela está sempre enrolada no emprego que detesta e em dúvida sobre seu namorado bonitão Dominic, que conheceu na universidade. Morando em um adorável apartamento com sua melhor amiga, Kirsty, ela poderia se considerar uma pessoa de sorte. Mas se sua vida é tão perfeita, por que ela se desfaz em lágrimas toda vez que pensa no futuro? Conheça George. Um músico brilhante que divide seu tempo entre brigar com os companheiros de sua banda de jazz e se preocupar com o pai doente. Mas ele sabe que a vida não é só isso. Deve haver mais alguma coisa. Algo especial. Tess e George são duas partes de um todo, almas gêmeas. Para a sorte deles, seus amigos em comum sabem que eles são feitos um para o outro. O problema é que eles não se conhecem e, sempre que a oportunidade aparece, a vida chacoalha os dois para longe. E agora? Se todos têm uma alma gêmea, como o destino faz para uni-los? Acompanhe a história divertida e apaixonante de Tess e George durante uma década de encontros malsucedidos, frustrações românticas e uma dúzia de recomeços. Uma vez na vida é uma comédia romântica moderna e inteligente sobre amizade, destino e oportunidades perdidas e reconquistadas!
Ao embarcar nessa leitura fui surpreendida com uma escrita criativa, um pouco cansativa, mas bem envolvente. Nesse romance conhecemos Tess e George. Eles moram em Londres e tem amigos em comum, mas não foram apresentados. Essa foi a parte um pouco chata, foram desencontros demais, alguns amigos ficavam tentando marcar encontro com eles, mas não dava muito certo não. Todos acreditavam que eles eram alma gêmea.

Tess namora desde a faculdade, aquele romance que já esfriou, virou rotina mesmo, não acrescenta em nada. Ela também tem um trabalho que não é lá grandes coisas. Sabe aquela pessoa que não está satisfeita com a vida? Que sempre sente falta de alguma coisa mas não sabe o que é? Essa é Tess. E ao longo do livro vamos assistindo Tess e George nesse anseio de querer mudar, mas não saber por onde.


Acredito que o principal ponto do livro é a reflexão que fica tanto sobre almas gêmeas quanto para as nossas escolhas. Afinal nossas escolhas é que nos farão bem ou não. OK super óbvio, mas vai dizer isso para uma pessoa acomodada, que talvez tenha medo de mudanças. Gosto muito quando o livro nos faz refletir, eu sempre "viajo" em meus pensamentos.


Gostei do livro é uma leitura envolvente, reflexiva e podemos ler o ponto de vista de cada um dos
personagens principais. E se você gosta de refletir sobre a vida e suas escolhas leia esse livro!

Dica de leitura com a Nessa*


Oi meus amores, como vocês tem passado?

Eu estou ótima, e hoje venho falar com vocês sobre minhas leituras preferidas e "queridinhas" do momento.
Quem me conhece sabe que eu amo romances de época, histórico e a editora Arqueiro vem nos presentiando com os livros da Julia Quinn (amo).
Hoje eu venho falar de um livro que eu já tinha a exatamente um ano na minha estante e só agora resolvi lê-lo e confesso que me arrependi de não ter lido antes, porque fiquei apaixonada pela história.

O Duque e Eu - Julia Quinn


Sinopse
O Duque e EuSimon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.
Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.
Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.


Este foi o primeiro livro que eu li da Julia Quinn, e fiquei encantada com a escrita da autora, ela me prendeu do início ao fim e me surpreendeu.
Este livro é o primeiro de uma série de oito livros, onde em cada livro vamos conhecer a história de um dos irmãos Bridgerton. Aqui conhecemos a Daphne, ela é a irmã do meio e a mais velha das mulheres.


Daphne está vivendo um momento que todas as moças de sua idade um dia irão passar, a escolha de um marido, o cortejo, bailes e festas para conhecer seus pretendentes, mas o chato nisso tudo é que sua mãe força a barra, e ela não aguenta mais conhecer tantos homens, uns velhos, outros chatos e por aí vai. Até que volta para cidade um Duque (lindo, maravilhoso e charmoso, uiii) Simon Basset, ele é considerado um libertino, ou seja, ela não deve se envolver com ele.

Bem, vocês já devem imaginar o que aconteceu não é mesmo? Quem resistiria a este Duque? Mas antes de chegar nesta parte, já que o Simon também se encontra nesta fase, ele tem uma ideia de os dois fingirem um cortejo e assim se livrariam dos pretendentes. Claro que o plano deu certo, o que não esperavam (ou esperavam) é que os dois fossem se apaixonar (suspiros, rsrs) e é aí que a história pega fogo minha gente.
Até que Daphne é flagrada aos beijos com Simon pelo seu irmão Anthony, e isso é um desrespeito, agora ou Simon casa com Daphne ou ele morre. E aí ficaram curiosos? Leiam!! Leiam!!

Ai gente, este livro tem todas as características de um bom romance histórico e algo muito positivo na escrita da autora é o humor, deixando a leitura gostosa e mais leve. Eu li freneticamente este livro querendo saber como tudo acabaria e não me decepcionei.

Depois deste livro tem mais dois da série publicados pela Editora Arqueiro que são: "O visconde que amava" e "Um perfeito cavalheiro", eu já li os dois e logo postarei a resenha aqui. E em agoto será lançado o quarto que é "Os segredos de Colin Bridgerton".

O Visconde Que Me Amava


Para quem gosta de um bom romance histórico e com doses de humor, fica a dica!